quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Quanto custa e quanto vale um casamento?

um post do blog do casal Ana Luisa e Marcelo, escrito brilhantemente por ela.

No aspecto financeiro, custa muito, sobretudo nesta cidade hiperinflacionada. É preciso ter os pés nos chão e discernimento para saber julgar racionalmente o que é fundamental para uma boa festa e o que é vaidade (digo isso porque toda noiva é, cada uma ao seu modo, influenciada pela ideia de ter de fazer algo diferente em seu casamento).

No aspecto afetivo, custa uma vida inteira. Custa muita dor de cabeça, muito choro, muito esforço, muito calar e pouco falar. Custa abrir mão da sua individualidade e das suas vontades próprias. Custa ter paciência para não sair falando o que vier a cabeça, sempre tentando manter o respeito um pelo outro. Custa pedir perdão, reconhecer suas próprias falhas e, como diz uma amiga de mamãe, “entre ter razão na argumentação e ser feliz, eu fico com a segunda opção”.

E como será este custar daqui a 10, 15, 20 anos? Como conciliar um casamento duradouro com a ideia do “não precisa mudar, vou me adaptar”, como a da música de Saulo Fernandes? (Quem me conhece sabe que está sendo um desafio usar como exemplo aqui uma música baiana...). Será que não vai custar muito ter de aguentar as manias e os defeitos do Marcelo? Será que ele não vai se cansar de mim?

Haverá, sem dúvidas, momentos do relacionamento que estes defeitos estarão mais salientes e evidentes que as qualidades, que meu coração estará mais propenso a ficar fechado e eu sentir vontade de largar tudo e morar sozinha, longe de tudo e de todos.

Então, qual é o caminho para fazer valer a pena todo este custo? Qual é o tipo de vida que nós precisaremos levar para aguentar com serenidade todas as adversidades e desafios que virão pela frente?

Uma vida de voltada ao sobrenatural. Isso porque esse espírito de caridade que será necessário para nos mantermos firmes neste casamento não estará nos nossos amigos, nos nossos pais, nesta vida terrena, nos nossos futuros filhos. Não serão eles os responsáveis por nos mantermos unidos e firmes. Esta capacidade que precisaremos ter, de suportar um ao outro na caridade, não virá do nada em nossas vidas. Ela é fruto dos pedidos que fizermos a Deus. Ela será fruto da nossa entrega e da nossa confiança em Deus. Só Ele quem nos dará as graças necessárias para vivermos em paz um com o outro e com os demais ao nosso redor.

Tudo que vale a pena custa caro. E porque um casamento custa muito caro, vale uma vida inteira. Vale muita cumplicidade, aprendizados e muito crescimento. Vale muitas risadas, muita confiança e muito amor. E, acima disso tudo, vale toda esta busca a Deus, Quem nos proverá tudo que necessitaremos em nossa caminhada e, de forma especial, nos dará capacidade para nos amarmos verdadeiramente.

 “Ora bem, o casamento capacita para amar de uma maneira real e efetiva. A nossa cultura não acaba de entender o matrimônio: contempla-o como uma simples cerimônia, um contrato, um compromisso... Tudo isso é, sem chegar a ser falso, demasiado pobre. Na sua essência mais íntima, o ato de casar-se constitui uma expressão delicada de liberdade e de amor.
sim é um ato profundíssimo, inigualável, mediante o qual duas pessoas se entregam plenamente e decidem amar-se mutuamente por toda a vida. É amor de amores: amor sublime que me permite “amar bem”, como diziam os nossos clássicos: fortalece a minha vontade e habilita-a para amar em outro nível; situa o amor recíproco numa esfera mais elevada. Por isso, se não me casar, se excluir esse ato de amor total, ficarei impossibilitado de amar de verdade o meu cônjuge, tal como alguém que não treina ou não aprende uma língua se torna incapaz de falá-la.” (Tomás Melendo Granados).

3 comentários:

Wicky disse...

Esse texto foi inspirado, muito inspirado! E cada linha é verdade e faz pensar! Faz querer viver, e faz querer acreditar que Deus ajuda todos aqueles que se colocam a caminho!!

Bia Malfatti disse...

Oi Bruna, que lindo tudo que você escreveu...pura verdade, e só com Deus no coração conseguimos alcançar a felicidade.
Se precisar de indicações, idéias e dicas pode contar comigo.
Dá uma passadinha no meu site, meu blog tá lá.
www.lojadosnoivos.com.br
bjs. Bia.

Ana Luísa disse...

Querido casal!
Fico feliz por saber que existem casais que pensam como nós e que vão viver o matrimônio da forma mais verdadeira que pode ser: com os olhos voltados para Deus! Sempre!
Que Nossa Mãe do Céu esteja sempre intercedendo pela união de vocês!
Beijo!