quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Vamos andar de bicicleta?

Cada ser humano, ao começar um dia, escolhe uma razão para continuar vivendo, sonhando e acreditando. Isso é fato. Sem isso, não temos ânimo de jogar a coberta fora da cama, de dar nosso grito de independência todos os dias e aceitar vestir a armadura da vida.

Volta e meia eu penso nisso e sempre acabo refazendo a comparação de como era minha vida antes da Bru. Gente, era chato. De verdade mesmo. Pensem vocês, não ter um amor, uma pessoa que materializa seus sonhos, que te ajuda e pega pela mão, é muito ruim...

Eu me lembro bem que logo que conheci a Bru, eu sempre dizia a ela: "Você deu cor aos meus dias..." e é verdade. A cor é o que melhor representa a vida, a sensação de que as coisas tem sentido. Aprendi na escola (essa aula não faltei!) que a cor é a luz refletida dos objetos e pessoas para nós, com diferentes frequencias (um feixe de fótons e bla bla bla... quem gosta de conceitos técnicos, clique aqui) agora pensem comigo: a luz que uma pessoa que nos ama de maneira enooorme e é refletida sobre nós... não acaba nos dando ainda mais vontade de viver?

A Bru é feita de luz. Tão fácil de amar, sem ser compreendida. Amar, o simples ato de amar é algo muito simples. A gente é que acaba complicando as vezes. A Bru está lá, emitindo sua luz. Iluminando todos ao seu redor. Há os que acham que tem luz própria (alguns se acham vagalumes), outros gostam da luz dos outros mas acham a luz forte demais, branca demais, amarela demais... Amar é ser iluminado. É deixar que a luz do outro nos toque, com a intensidade, cor e frequencia emitidas do jeito que simplesmente é. Eu aprendi a amar a Bru. Aprendi o segredo para não brigar tanto, o segredo para ter paciência (porque o amor também é paciente), aprendi que para amar não pasta ser romântico o tempo todo: é preciso antes de tudo aceitar o outro com as limitações, qualidades e talentos que possui. Amar é andar na velocidade do outro. Nem que para isso tenha que apressar o passo para alcançar, ou diminuir o ritmo para acompanhar...

Amar é pensar menos em si e mais no outro. É deixar de respirar um pouquinho, para sobrar um pouco mais de ar para o nosso amor. É difícil amar, mas só no começo: é como andar de bicicleta: você cai um pouco até aprender (alguns ainda preferem usar rodinhas) mas depois você vai longe, porque amar nos dá uma vontade imensa de correr...

O meu bom dia hoje é esse: é dizer para vocês que estou aprendendo a andar de bicicleta. As vezes caio, mas é porque sou como aquela criança preguiçosa que quer que o pai empurre para sempre a dita bike. Mas digo para todos que a Bru sempre está me esperando láááá no fim do caminho, e aí me dá vontade de pedalar bem rapidão, para levar um lindo buquê de flores para ela. Ela está dormindo agora. Mas saindo daqui, vou lá dar um beijo na testa de bom dia para ela. Desejando que esse simples gesto possa fazer o dia dela ser o melhor dia da vida dela, mais uma vez.

7 comentários:

Lady Dai disse...

Bom dia!
mas que cantinho lindo,
cheio de amor!
Já estou seguindo...
Quando puder dá uma passadinho no meu tbm!

Abraços!

Bruna Bloinski disse...

Amoooooooor...
eu não sei andar de bicicleta!!!
Mas estou aprendendo bem como amar você, não?

Te amo além do amor!!!

♡Kaah♡ disse...

Eu acho os posts de vocês sempre tão fofos!

Felicidades!!!

Bjoks

Kaah


www.thenerdwedding.blogspot.com

Adeline disse...

O casal anda cada vez mais inspirado!

Amei esse post!

Bjosss, meus amores!

Anne disse...

A Ade disse tudo né? ;) Cada vez mais inspiradores e inspiradores. Já disse né? Sempre que venho vejo que muitas coisas penso bem parecido com vocês. Não igual até porque ninguém é igual... ;) É "difícil" amar, mas creio que é mais do que recompensador construir uma vida junto, abrir mão um pouco do seu eu (isso é bem complicado) em pró da felicidade alheia... ;)
Amor pra vocês. Sempre.

disse...

Sempre um post lindo e cheio de amor, pra encher nossos corações!!!
Bjo

Gabi disse...

Adorei!!!
Casal amado!