sexta-feira, 4 de março de 2011

Quando o coração sai fora do ritmo

Tum, tum! Tum, tum! Tum, tum! Deveria ser assim, mas nem sempre é... E quando o ritmo perde o compasso, nos perdemos com ele e é como se não houvesse mais um caminho certo a trilhar ou uma saída possível de ser enxergada.


Tem horas que não damos conta de tudo o que trazemos conosco, em nossos corações e mentes e inevitavelmente acabamos explodindo. É triste, mas é verdade: o que nos mantém em pé, acaba nos tirando o chão. O amor que dá cor aos nossos olhos, brilho ao nosso sorriso, que faz nosso sangue correr pelas veias é o mesmo que nos faz perder a cabeça quando o coração perde seu compasso. E tudo fica frio, escuro e triste, porque nada mais faz sentido, nada tem muito valor. E se nessas horas não é Deus, não somos ninguém e fazemos sofrer as pessoas que mais amamos...

Resta-nos pedir que Deus nos dê forças pra que não desistamos de acreditar no amor e para que possamos, enfim, desacelerar o ritmo (ou acelerar, se for o caso) dos nossos corações, para que eles possam nos fazer sentir o que precisamos, do jeito que precisamos, sem medo.

Um comentário:

Wicky disse...

As vezes passam pelo coração sentimentos que não somos capazes de interpretar. Esse lindo texto fala exatamente o que muitos corações, o meu inclusive, sentem... Quando ele bate pequenininho, a vontade que se tem é ter fé que nascerá um novo sol de amor... Eu acredito nisso! Aprendi com o meu amor!