domingo, 6 de maio de 2012

E que venham os filhos!

Já se passaram 16 dias desde aquele sábado ensolarado. Não parecia que iria fazer sol. A previsão apontava um dia frio e chuvoso. Mas foi às 14 horas desse dia, 21 de abril de 2012, que recebemos um dos presentes mais lindos. Em nossos corações o sol já brilhava, mas de repente, ele também apareceu no céu, para dar ainda mais brilho àquela tarde, à nossa tarde. 

O coração estava disparado no peito. Um misto de sensações, todas juntas, separadas, misturadas... faziam aquele ser o dia mais emocionante de nossas vidas. Era o fim de um período de sonhos, de espera; mas o começo de um tempo novo, de realizações e de novidades. 

No rosto de cada pessoa que lá estava, um sorriso sincero e um brilho no olhar que denunciava o quanto todos estavam saboreando da mesma alegria, o quanto todos sonharam conosco e esperaram pelo dia em que Bruna e Jorge iam se casar. 

Nossos pais estavam radiantes. Nervosos, preocupados, ansiosos, emocionados, afinal, seus pequenos estavam dando passo de gente grande, um momento com o qual se sonha a vida toda, mas quando chega, dá aquele frio na barriga. Não tinha como olhar pro sorriso de cada um deles sem se emocionar também. Era como se um filme de nossa história passasse em nosso coração e nos fizesse lembrar das apresentações na escola, nos teatrinhos de dias das mães e dos pais, das noites em que cuidaram da gente e que vieram nos cobrir, abençoar e beijar... coisas que estavam prestes a acontecer novamente, mudando apenas os atores desta maravilhosa peça de teatro que é a vida. 

No meio desse cesto de emoções, encontrávamos o irmão, da noiva – que agora é também do noivo – com o coração repleto de ansiedade porque naquele dia entregaria a sua ir ao seu amigo por primeiro. 

Os amigos estavam igualmente alegres. Decoravam a igreja com seus sorrisos e tornavam aquele lugar ainda mais belo do que já estava. As flores, os tapetes, os arranjos, os ícones... tudo se encaixava de modo harmônico e tornava aquele momento ainda mais único e digno. 

O padre trazia consigo o amor e a acolhida de uma Igreja viva, que ama e acolhe uma nova família. Os salmistas prepararam com empenho cada detalhe dos cantos que trouxeram a alegria para fora dos corações de todos. E as fotógrafas! Ah, as fotógrafas! Foram aquelas que além de captar cada emoção, vivenciaram conosco esse dia desde o seu comecinho. 

As portas da igreja se abriram pela primeira vez e o noivo, nitidamente emocionado, cruzou o corredor que o levou a esperar por sua noiva pela última vez. Não demorou muito para que as daminhas encantadoras anunciassem a chegada da noiva. Bem que o noivo tentou engolir o choro, mas com a voz embargada entoou a canção para que ela viesse ao seu encontro. E ela veio, trazendo uma beleza resplandecente, uma luz em seu rosto, a pureza de quem se guardou para o seu esposo. 

Um sonho com você... Um abraço e um suave beijo na testa fizeram com que nos déssemos conta de que logo ele se concretizaria. E foi assim, que os blogueiros apaixonados e sonhadores trocaram as alianças que vieram amarradas no Livro que lhe sustentara por toda a vida, especialmente, nos últimos quatro anos. Os pequenos que as trouxeram também deixaram transparecer a alegria e a graça deste milagre: o milagre da vida que se fez no nascimento desta nova família. E a bênção de Deus recaiu sobre nós e, não de um jeito mágico, mas de um jeito concreto Deus veio selar o nosso amor. 

Agora já não somos dois, somos apenas um, porque ao nos dar em amor um ao outro, selamos o compromisso que firmamos perante aqueles que mais são importantes para nós, com a certeza de que a história começada no dia 21 de abril de 2012 será pra toda a vida, porque é nisso que acreditamos. O preço do amor sacramentado é saber que ele é eterno. 

Jamais nos esqueceremos do amor que recebemos quando entramos no salão de festas, recém-casados. E as palavras ditas ao pé do ouvido guardaremos para sempre, pois vieram daqueles que viram nossa história acontecer. E o brinde... ah! Sem dúvida alguma foi uma verdadeira profecia. “E que venham os filhos!” – exclamou Padre Mário. Que eles venham, que tenhamos amigos, que tenhamos nossa família sempre perto e que possamos bendizer a Deus em nosso casamento, em nossa vida, em nossa casa, em nossa família. A família Bloinski Munhoz. 

Escrevemos essa postagem com os olhos cheios de lágrima, com a voz embargada (já que escrevemos juntos, no sofá de nossa sala, no conforto de nosso lar) e relembrando aquele dia em que Deus pensou em tudo. Um sonho com você agora é realidade: casamos! E como é bom dizer “casamos”! Somos casados, sempre apaixonados e com muitos novos sonhos na bagagem. Mas estes sonhos já fazem parte de outra história, que não contaremos aqui. 

Por isso, chegou a hora de deixarmos esse cantinho que tanto nos uniu, um ao outro e, especialmente, nós a vocês, nossos leitores, amigos, conselheiros... pessoas que sonharam conosco, torceram, rezaram, lembraram, pensaram em nós... E certamente traremos para sempre em nossos corações tudo de bom que sentimos através desse meio. Fizemos amigos que nos acompanharão sempre e esperamos ter deixado no coração de cada um que passou aqui, um pouco do amor que nos faz sonhar. 

E a você, caro leitor, que sempre passou por aqui, mas nunca deixou algum comentário, queremos dizer que muitas vezes escrevemos pensando em você e esperamos que um dia todos possam experimentar a felicidade que vem do Céu. 

O blog termina aqui, mas a vida continua. E que venham os filhos!

Um comentário:

Ana Beatriz disse...

Que liiindo!!!!
Mesmo não os conhecendo pessoalmente, tenho um carinho enorme pelos dois!Desejo todas felicidade do mundo p/ suas famílias!
Agora mais que nunca, a Família de Nazaré está com vc's.
Um bjão da amiga virtual!