segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Uma pausa para falar de...


Dia desses, a Luciana (uma das leitoras aqui do blog, com quem já tive a deliciosa oportunidade de compartilhar algumas coisas) me fez uma pergunta interessante e, apesar da demora, resolvi postar a resposta aqui para que ela e os demais leitores possam saber um pouco sobre isso. Vamos lá...

A Luciana me perguntou se em nosso relacionamento tivemos dificuldades no convívio com as pessoas, aceitação, tolerância... Não lembro bem as palavras que ela usou, mas ela gostaria de saber se nós, Bruna e Jorge enquanto casal, tivemos problemas no relacionamento com as pessoas de “fora”, fossem amigos ou familiares. Quem conhece um pouco mais a nossa história sabe dizer que a resposta é SIIIIIIIM! Tivemos (e temos) muitas dificuldades.

No começo, como contamos aqui, nossa dificuldade foi a aceitação dos meus pais. Por razões que eles conheciam, julgavam que nosso relacionamento não tinha futuro e essa foi a causa de muitas, muitíssimas discussões na minha casa. De lá pra cá, muita coisa mudou (outras ainda precisam ser mudadas). Mas foi com muita paciência e, especialmente, com muita fé que conseguimos chegar até aqui: hoje minha mãe aceita o Jorge como seu filho e nosso relacionamento é algo que, inclusive, tem ajudado ela nos momentos de crise. Apesar de ser algo que nunca imaginamos, esse milagre que Deus fez em nossas vidas é mesmo algo incrível e olhar minha mãe e o Jorge convivendo bem hoje é algo maravilhoso. Se vamos casar, é porque temos a bênção da dona Jô, que tantas vezes foi “pedrinha” em nossos sapatos (como ela mesma se define), mas que nos ajudou a provar nosso amor no fogo e ver quanto ele é forte.

Com conhecidos tivemos muitas decepções. Pessoas com as quais achávamos que podíamos contar, de repente vimos se tratarem de inimigos escondidos. Aqueles com quem partilhamos nossos medos, anseios e desesperos, muitas vezes traíram nossa confiança e não houve outra alternativa que não se afastar... Por mais que doa a decepção, Deus sempre nos dá a chance de optarmos por um caminho mais seguro e nos mostra quem pode e quem não pode nos ajudar.

Amigos temos de monte. Irmãos de verdade, já posso enumerar. Mas no meio das diferenças entre uns e outros, Deus tem nos feito perceber quem são aqueles que jogam conosco de verdade e quem são os que preferem assistir de camarote. Decepções pequenas e grandes sempre acontecem. Muitas vezes nos escandalizamos porque somos diferentes e nem todo mundo está disposto a aceitar quem não é igual a si. Mas desde sempre eu e o Jorge adotamos a postura da verdade e, doa a quem doer, somos assim e quem nos ama de verdade, nos aceita. Não somos perfeitos, lindos, maravilhosos... mas, apesar do nosso esforço para sermos melhores, Deus permite que sejamos assim e, mesmo assim, temos muita gente que nos ajuda, que nos acolhe, que nos ama e nos encoraja.

Dificuldades a gente sempre vai ter, mas o mais importante é não perdermos a essência, porque sem ela, deixamos de ser... No mais, se sabemos oferecer o amor, Deus nos recompensa no tempo certo!

2 comentários:

disse...

Nossa Bru, quanto tempo não passo aqui e seu casamento agora está cada dia mais perto!
Fico muito feliz por vcs e tenho certeza que independente das decepções, das amizades ou de qq outra coisa, essa história linda e abençoada de amor sempre será maior que tudo isso!
Beijos

Wicky disse...

Tudo que a Bru disse é verdade. Quem está conosco, é porque realmente nos ama e está disposto a nos amar como somos. É assim que Deus nos ama, e não podemos aceitar outro tipo de amor. Graças a Deus as dificuldades sempre nos ajudaram a perceber quem de fato nos ama ou só "passa a mão" na nossa cabeça. Aos amigos, nosso muito obrigado! Rezem por nós!